Lilypie Kids Birthday tickers Lilypie Fifth Birthday tickers

janeiro 08, 2009

Resenha Histórica das Férias Natalícias

Então cá vai o primeiro episódio...

Muita caminha e algum sofázinho. Como as minhas Rs são umas moças à maneira deixaram a mamã dormir bastante em todas estas manhãs. A Táta tive eu que acordar mais do que uma vez já depois das 11 da manhã porque não havia meio de sair da cama.

Um destes dias tive que ir pela primeira vez ao El Corte Inglés (que por sinal detesto) porque o presente de Natal do meu Departamento foi um cartão presente dessa superfície comercial. Peguei nas Rs apanhámos o comboio e fomos até à baixa. Fomos de metro até ao “Corte” comprei o que tinha que comprar e ala dali para fora o mais rapidamente possível depois andámos a passear pelo Rossio, atrás dos pombinhos, estivemos a ler a história do “Quebra Nozes” e a comer castanhas.

A véspera de Natal foi atribulada, tarde toda de volta das filhóses e dos coscorões para levar para casa da sogra onde passariamos a consoada e o dia de Natal com os meus cunhados e a sobrinha pequenina, com os meus pais e o meu irmão. Depois do jantar a “pima Inhês” começou a ficar com a birra de sono e por isso o Pai Natal (meu cunhado) teve que chegar bastante antes da meia-noite. Quando tocaram à campainha e a D.Rf viu que era o Pai Natal e ficou eufórica, a correr pela casa e a chamar toda a gente e a mana Táta cheia de vergonha do Sr. (que era o meu cunhado). Tiraram fotos com ele e ao colo dele e quando ele pegou na minha sobrinha pequenina (ainda só tem um aninho) ela ficou num primeiro tempo muito séria a olhar para a cara dele, pensei que ía chorar, mas depois fez um esgar como que a dizer “Ah! Afinal és tu!” e sorriu para ele. Engraçado como o reconheceu com o capuz e a barba e sem os óculos. A D.Rf procurou o padrinho por toda a casa para lhe mostrar o Pai Natal mas o padrinho tinha “ido a casa buscar uma coisa de que precisava e que se tinha esquecido”.
Depois foi a loucura total a abrir presente atrás de presente. Entretanto a D.Rn começou a queixar-se de dores no ouvido e tivemos que ir para casa. Dei-lhe o Brufen que fez efeito até às 3 da manhã e depois como não podia dar mais intercalei com Ben-U-Ron. Não lhe voltou a doer mas eu sabia que era provável que fosse uma otite e que precisariamos de antibiótico por isso decidi ir com ela às urgências no dia de Natal

A D.Rf no dia seguinte comentava comigo e com o Sr. Marido que o Pai Natal era muito parecido com o padrinho mas a minha sogra disse-lhe que o Pai Natal às vezes fica parecido com uma pessoa da família para que as crianças mais pequenas não tenham medo dele.

O dia de Natal foi a maior das confusões. Fui com a Tatinha às urgencias porque otite que se preze precisa de antibiótico. Lá chegados e com 1 hora de espera ligamos para os meus sogros a dizer que íamos chegar atrasados ao almoço “tudo bem, não há problema nós esperamos”. Como um “azar” nunca vem só, dos dois médicos que estavam de serviço ficou só um porque o outro foi chamado ao SO e o que seria uma hora de espera rapidamente se transformou em duas e meia.

Pequeno àparte: quando entrámos na triagem o enfermeiro de serviço ao ver as minhas Rs com vestidinhos de princesa disse “Então temos aqui três princesas?” ao que eu respondo “é mais duas princesas e uma rainha”. Passado um tempo raciocinei um pouco e cheguei à conclusão que as três a que ele se referia princesas eram a Táta, a Rafaela e a Sofia (Nenuco que a Táta levava ao colo) sou mesmo Tótó!

Mas o dia de Natal ainda estava longe de terminar.
Enquanto nós secávamos nas urgências, em casa dos meus sogros o filme era este:
Cunhado telefona a avisar que sobrinha está com febre e que só ele vai almoçar. Cunhado chega a casa de Sogros e todos decidem esperar por nós. Passado muito tempo e como Cunhado queria voltar para junto de Cunhada e Sobrinha doente, Sogra serve almoço a Cunhado. Cunhada liga a Cunhado e diz que vai levar Sobrinha às Urgências porque a febre não dá tréguas. Cunhado decide comer depressa para ir ter com Cunhada e Sobrinha ao Hospital. Cunhado põe a primeira garfada à boca e Cunhada volta a ligar para Cunhado ir ter com ela porque Sobrinha não larga colo de Cunhada que não tem como a sentar na cadeirinha para poder conduzir. Cunhado vai embora sem almoçar. Sogros decidem almoçar sozinhos enquanto comentam “com uma mesa posta para tanta gente ainda temos que comer sozinhos”.

Entretanto nós ficamos aviados com Clamoxil, Aerius, Neo-Sinefrina e Brufen (não havia lá mais nada?) e vamos, finalmente, almoçar. Há substituição na equipa das Urgências, sai familia R e entra familia Cunhados/Sobrinha.

Chagámos a casa de Sogros (que estavam muito desconsolados) e finalmente almoçámos, pouco tempo depois entra o “resto” da família que também almoçou (quase à hora do lanche mas quem é que estava a olhar para o relógio?)...

6 comentários:

Van Dog disse...

Tenho que admitir: os humanos adultos são brilhantes a justificar a presença do Pai Natal.

Shakti disse...

Que dia de Natal...

bj

Sónia disse...

Tou cansada só do teu dia de Natal!!!

Lindo a da Rainha!!!! LOL!!!!!!

Como é que fazes a criatura tomar Clamoxil?!?!?! A minha só aos berros! Aproveito a boca aberta e vai goela abaixo!!!

João disse...

Pensava eu que tinha tido um Natal agitado. Bateste-me ao pontos.
Bj

sonia disse...

Grande dia!! :( bolas!!!!!
Oh pà, claro que no grupo das princesas estavas incluida!!Pà!!Não duvides desse charme das R's :)

beijinhos vou ler o resto da saga

Thunderlady disse...

Pôças, se este foi o primeiro episódio não quero imaginar os outros... Djiii!!

Duas princesas e uma rainha, ahahah, fartei-me de rir.. e a cara do médico?? Tadita, tu também precisavas de consolo e colinho!

Bjokas