Lilypie Kids Birthday tickers Lilypie Fifth Birthday tickers

março 04, 2008

R e os Livros

Sempre amei ler e nunca fui esquisita, leio tudo desde a Dica aos “Versículos Satânicos” de Salman Rushdie.

Comecei em pequena com os livros da Heidi, da Anita e do Tio Patinhas. Lia os Livros da Patrícia, dos Cinco e dos Sete o que me aguçou o apetite pelo mistério.

O primeiro livro assim para adultos que li foi o “Papillon” que me fascinou e que foi a minha primeira decepção quando vi o filme, faltava tanta coisa importante...

Depois passei revista a tudo o que havia lá em casa e que desse para ler, desde “Amor de Perdição” a “Madame Bovary”. Nos intervalos lia as “Selecções do Reader’s Digest”.

Na escola em termos de obras ditas obrigatórias não li nenhuma. Ler é para mim um prazer e não o faço por obrigação. Li depois mais tarde “O Mundo de Sofia” e até gostei embora em algumas alturas tivesse vontade de desistir.

Depois o vício agravou-se e comecei no “Perfume” que simplesmente amei, é um livro que mexe com os cinco sentidos (bem eu tenho seis – sou gaja). Passei pela Marion Zimmer Bradley e “As Brumas de Avalon” este estilo também me seduz. Li outros livros de Jostein Gaarder e li o “Timbuktu” de Paul Auster o que me levou directamente a “Leviathan” e “Mr. Vertigo” ainda tenho a “Trilogia de Nova Iorque” lá em casa em modo Stand By.

O “Marido Infiel” de Brian Gallager fez-me soltar algumas gargalhadas assim como vários de Gaby Hauptmann que li, “Mulher procura homem impotente para relacionamento sério”, “Um homem bom é um homem morto” e mais dois ou três fantásticos mas light assim como os que li da Margarida Rebelo Pinto, gosto de chamar a este os livros "livro pipoca" porque não requerem muita atenção podem ler-se enquanto se fazem outras coisas ou enquanto se lêm outros, sem problemas.

Não gosto do Paulo Coelho, li o “Alquimista” e aquele género espiritual não me diz nada, entedia-me. Há aqueles que gosto de ler quando estou deprimida, felizmente é muito raro, que são Nicholas Sparks e Jane Austen, muito lamechas...

Gosto muito de mistério/thriller e investigação e há uma colecção, Fio da Navalha que tem uma autora de que gosto muito que é a Patrícia Cornwell. Ainda neste género gostei muito dos quatro livros que li de Brigitte Aubert e dos de Nicci French.

Agora para algo completamente diferente e uma autora que também me enche as medidas Joanne Harris, mais uma viagem pelos sentidos que me delicía.

Depois há uns quantos avulsos tipo O Codigo Da Vinci, Equador, O Estranho Caso do Cão Morto (este é mesmo muito bom), A Vida de Pi (e o belo tigre Richard Parker), os de Jaime Bailey (muito picantes e que abordam temas assim a modos que interessantes) e passando pelo “Memórias Eróticas de um Burguês” de autor anónimo. Tirando o Paulo Coelho ainda não tive mais desilusões.

E a Trilogia do Senhor dos Anéis que me tirou do sério e me pôs a pensar para a transposição para filme vários anos antes de o mesmo acontecer?
Agora estou um pouco em stand by porque o tempo não é muito e tenho o “Rio das Flores” na mesinha de cabeceira à espera, assim como bastantes outros na estante que também aguardam que os leia, um dia destes sem dúvida...

Talvez por isso tudo tenha muita vontade de que as minhas R’s herdem este meu amor pelos livros (amor esse que me deixa renitente quando me pedem algum emprestado) e por isso mesmo as inundo de livros e todas as noites há uma história (excepto quando se portam mal) e me dá muito prazer quando as vejo às duas sentadas a D.Rf com um livro ao colo, a D.Rn sentada ao seu lado enquanto a irmã lhe vai “lendo” a história, talvez não “leia” as palavras que lá estão mas uma imagem vale por mil palavras e por isso ela conta-lhe a história sem hesitações e a outra ouve com muita atenção.

17 comentários:

João disse...

Olá
Tenta Wilbur Smith,Stephen Laewhead e a portuguesa Sandra Carvalho. Géneros diferentes mas que nos prendem desde a primeira página.
Excelente a maneira como escreves.

Pandora disse...

Gostei deste teu post, porque também adoro livros. Tal como tu, também comecei a ler os cincos, a patrícia e por aí fora...
Aos 12 anos era fanática pela Agatha Christie. E, livros para mim, quanto mais grosso melhor...há quem faça piadinha quando digo isto. :-)
Ainda me lembro quando andavas de transportes e trazias A Vida de Pi debaixo do braço, acho que estavas grávida da Táta.
Li o Senhor dos Anéis em Inglês tinha cerca de 1100 páginas e uma letra miúdinha, hoje não tinha paciência para lê-lo.
Em casa tenho uma estante com livros que já li e outra com livros por ler. Na mesa de cabeceira também tenho o Rio das Flores e mais um calhamaço de Sociologia, este último não faz parte da leitura de lazer.

O que gosto mesmo e sou fã incondicional é da Lesley Pearse, escritora Inglesa que escreve romances baseados em histórias verídicas.
Bjokas

Big Def disse...

Gostei do post.
Cumps.

Atever disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Atever disse...

Bem há nesta lista alguns que eu também já li, sobram muitos que nem conheço e li outros tantos que não constam.
Achei o "O Código Da Vinci" demasiado 007, Gostei do Equador, apesar de não poder com o Miguel de Sousa Tavares nem com "molho de tomate". Perfume, O Estranho Caso do Cão Morto e Visto do Céu (os dois últimos prendas de aniversário da minha herdeira), são fantásticos.
Curiosamente nunca li nada da "esticadinha" e uma vez tentei ler Paulo Coelho e pareceu-me um daqueles folhetos que as gajas do Jeová nos impingem à 5ª feira.
Actualmente ando às voltas com "A Casa Quieta" do Rodrigo Guedes de Carvalho, que pensei comprar por curiosidade mas que acabei por "gamar". Só reparei nele depois de arrumar as compras, quando ia "engatar" o carrinho nos outros eheheh (até escrevi um post sobre isso).
Actualmente leio pouco porque perco demasiado tempo na net. E ando sempre a "levar nas orelhas" porque tenho oito ou nove livros na mesa-de-cabeceira, o que dificulta imenso a limpeza do pó eheheh.
Eu fui sempre um rapazinho muito sério, muito homenzinho e, que me lembre, só há uma mancha na minha reputação de criança honesta. Roubava dinheiro ao meu pai para comprar livros.
Quando acabei a instrução primária (praí no século XV) havia a colecção "Formiguinha" a $40 cada exemplar e como eu ajudava na venda de fruta e legumes que os meus pais tinham, quando era ao "velho", como ele andava quase sempre com a "bezana" nem dava por falta de quatro tostões hoje, quatro tostões na outra semana... eheheh
Depois de vir para Lisboa trabalhei em lojas, a fazer recados, e junto à estação do Rossio comprava livros a 25 tostões que depois trocava mediante o pagamento de mais 15 tostões. Conseguia percorrer a baixa inteira (e até atravessar ruas sem semáforos) sem tirar os olhos do livro eheheh (houve uma fase que fazia o mesmo percurso aos pontapés a uma caixa de fósforos. E conseguia regressar à loja com ela e com os sapatos abertos à frente eheheh).
Agora muito cuidado com as criancinhas. Os livros não devem estar ao alcance das crianças, porque eles entusiasmam-se e mais tarde acabam em professores a recibo verde, por falta de colocação.
Beijinho.

Atever disse...

Rita: vi o teu comentário na Zaka (sobre religião) e não me contive. É que eu, por acaso, casei pela igreja porque fazia uma cerimónia mais bonita eheheh. Quanto a baptizar a filha e a furar-lhe as orelhas, ficou ao critério dela.
As orelhas já as furou, de um modo muito mais simples e indolor que aquele usado pelas avós (uma agulha e uma linha. Foooosga-se!).
Quanto a religião, cada vez a vejo mais parecida com pai. Sempre a rogar pragas às beatas eheheh.
Beijinho.

Nani disse...

Espero que elas também gostem de ler ... ou venham a gostar!
Eu devorava livros, agora tenho menos tempo (infelizmente), mas tenho a certeza que eles ajudaram, se não foram mesmo os únicos culpados, da imaginação e capacidade de sonhar que ainda hoje tenho!!!

Hydrargirum disse...

Então tens de lhes incutir desde pequenitas...livros pequeninos e em crescendo para elas irem ganhando esse amor à leitura...:)

Eu acho imprescindível...ajuda a desenvolver, imaginar, intelectualizar...a escrever até!!!:)

Tens aí um reportório, vai lá vai!:)

Jinhos:)

O renascer da Fenix disse...

Minha Rainha…

A magia dos livros está na nossa mente… num filme é-nos servida a interpretação da mente de um realizador, argumentista ou guionista … quando lê-mos um livro a nossa mente serve-nos o nosso cenário, os nossos actores, as nossas sensações e é tudo perfeito...
O prazer é sempre único, porque é o nosso criado por nós…


Uma Grande Chama para ti… Beijos

Sónia disse...

Eu ADORO ler! Sempre gostei desde miuda! Acho que se deve ao facto do meu Pai me encher de livros! Hoje em dia faço o mesmo à Pulga! Espero bem que ela se apaixone como eu! A história é sagrada lá em casa! Tb tenho uns poucos na estante em fila de espera! Agora com as viagens de comboio ando a recuperar a leitura atrasada!!!

Nostálgica disse...

Acho que o hábito de ler se está a perder cada vez mais, infelizmente. Mas é tão bom descobrir novos mundos.

Um bjnho.

Dreamer disse...

É sem dúvida, um hábito fantástico que deves incutir nas tuas R's. Para além de ser muito bom a nível da aprendizagem (vocabulário, leitura em si) é sem dúvida um passaporte para outros mundos. Eu confesso que desde os tempos da faculdade em que lia grandes calhamaços e agora (que leio o dia inteiro), perdi um pouco esse hábito, mas tenho sempre um livro de cabeceira que vou espreitando sempre que o meu cérebro se aguenta!!

O renascer da Fenix disse...

Tens correio rainha...

Uma Grande Chama para ti... beijos

Dualidades disse...

Neste momento anda "O Sétimo Selo", do José Rodrigues dos Santos à espera que lhe pegue! Acho que o gajo já anda a perder a paciência...

Dualidades JP

Luazinha disse...

Mimo no meu T0!
Kiss

migvic disse...

Temos um percurso literário igual até ao Perfume, só que cheguei a ler os Maias e o Primo Basílio.

Li mais outras tretas que agora não me lembro tanto como a Anita e o Patinhas, essas grandes obras literárias.

Red Woman disse...

Já ouvi dizer que o Rio das Flores é uma banhada autêntica.Mas gostos são gostos!

Eu agora estou a ler a "Bruxa de Oz" e estou a gostar imenso.

Beijos